Senado aprova atendimento odontológico a internados em UTI


O plenário do Senado Federal aprovou o projeto de lei (PLC 34/2013) que torna obrigatória a assistência odontológica a pacientes em internação hospitalar, aos portadores de doenças crônicas e aos atendidos em regime domiciliar. O projeto segue para sanção presidencial e, caso convertido em lei, entra em vigor 180 dias após a publicação no Diário Oficial da União.

Ao defender a sua aprovação, o senador Jorginho Mello (PR) ressaltou a importância da assistência a pacientes hospitalizados após prolongado período de internação. “Está provado que as bactérias que se formam na cavidade bucal têm contribuído sobremaneira para o agravamento da saúde de muitos pacientes internados em UTI. A presença do dentista, acompanhando este internado, vai ajudar na recuperação plena deste paciente”.

Segundo Jorginho Mello, o projeto havia sido arquivado no final de 2018 e, após dialogar com representantes do setor, requereu o desarquivamento do projeto em março deste ano. “Tive boas conversas com o presidente do Conselho Federal de Odontologia, Juliano do Vale, e com a presidente do CRO de Santa Catarina, Sandra Silvestre, que mostraram a importância desse projeto para a saúde dos internados”, comentou o parlamentar.